Deixe seus comentários aqui

GLORINHA, A SUICIDA

GLORINHA, A SUICIDA
Um dia, Glorinha descobriu que o seu pai era gay.
Descontente da vida, incapaz de aceitar a situação, resolveu se
matar.
Mas não podia se matar como qualquer outra criatura, afinal, ela,
Glória, era milionária; e ficar se atirando de qualquer viaduto ou
ponte, cortando os pulsos ou tomando formicida era coisa de suicida
pobre...
Mandou aprontar o jatinho da família e só com o aviador se mandou
para o céu.
Pretendia se atirar lá de cima. Durante o vôo, enquanto se
preparava para o salto fatal, ela foi indagada pelo aviador a respeito
do gesto extremo que ia executar e, chorando, contou a ele o que
ocorria:
-- Papai é viado. Não consigo conviver com essa vergonha e vou me
matar.
Vislumbrando uma possibilidade, já que ele sempre havia cobiçado
aquela mulher, o aviador sugeriu que dessem uma antes de ela se matar.
Glória concordou, afinal, para quem ia morrer, não custava nada
quebrar o galho do aviador que se declarara tão apaixonado por ela..
E assim foi. Piloto automático no avião e... 'tome-lhe e tome-lhe ..... Glória gostou tanto que desistiu de se matar.
*Qual é a moral da história? *
GLÓRIA DEU NAS ALTURAS
E O PAI, NA TERRA, AOS HOMENS DE BOA VONTADE !
Reações:

0 comentário: